sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Final de ano


Sentimentos e sensações a flor da pele. Todo mundo numa correria só para que tudo saia como esperado.
Um cheiro diferente, uma expressão diferente. Algo para todos os dias, apenas numa época do ano.
Isso faz com que eu pense: “Será que se todos os dias fossem assim, sempre seria especial dessa forma?”
Esperamos essa época por saber que muito de todos os gestos e sentimentos bons estarão por toda parte nesses dias, casas são enfeitadas para celebrar, tudo com um toque especial, e que bom que é assim, uma época para refletir, decidir, agir, perdoar, interagir, compartilhar, abraçar, abraçar e abraçar.
Sentimentos bons que não queremos somente para nós se fazem necessários aqui fora, se torna necessário que de alguma forma toquemos as pessoas e que elas de alguma forma toquem em nós.
Alguns mantêm esse espírito o ano todo, outros precisam de uma data, mas não duvido que haja as exceções. Em tudo e em todos os lugares sempre há.
Observando todo esse ritmo consigo imaginar o que cada embrulho pode conter, o sente cada coração de cada pessoa que cruza comigo na rua. Consigo perceber a vibração do que cada criança anseia receber do papai Noel e o alívio que cada adulto sente ao encerrar mais um ciclo, ao sentir que mais um ano de luta se foi e agora mais um ano de esperança se inicia.
Hoje em meio à correria quis parar e escrever, hoje que me sinto tão as flores eu, vim aqui manifestar o meu profundo desejo que tenhamos sempre saúde, sonhos e paz.
A cada pessoa que conheço, a cada pessoa que não conheço, quero que possa sentir toda a magia que há em uma época tão especial. Assim como cada um de nós.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Mudar



As palavras têm energia, umas mais e outras menos para mim. Mudar é uma das que tem muita energia. Sinto suas vibrações em mim, em cada pensamento, em cada palavra, em cada atitude.
Tenho me percebido diferente, no entanto não sei diagnosticar ou discorrer sobre as diferenças que há entre mim antes e da que eu sou agora.
Sei apenas de algumas coisas que se somaram e de outras, que embora importantes, não representam mais minha proposta.
Sou um ser mutável, como tudo e todos e, agora me reconheço em outros lugares, outras músicas, outros assuntos e em outras pessoas.
Não tive coragem de mudar ou atualizar o que eu vinha sendo, até o momento que me percebi diferente, que senti que aqui não cabia mais o que eu sou.
Nesse momento me afastei, procurei e não achei nada que significasse e pudesse representar a minha alma, que agora vibra diferente.
Tive vontade de algo novo, de outro, outras coisas, outro tema, outra proposta. Não me vejo mais aqui, mas ainda percebo minhas flores, elas estão em mim, sempre estarão.
Isso para mim tem tom de despedida e sabor de continuidade, por isso agora deixo para trás parte do que por um tempo fui e continuarei sendo de outra forma.
Talvez um dia volte, mas, no entanto, esse é um momento de partida.
Parto para uma outra parte de mim.

AE.18/08/2010-As Flores e Eu

quarta-feira, 7 de julho de 2010


Reflexões acerca de Sistemática Vegetal.


No entanto, o simples fato de que uma planta extinta tenha sofrido fossilização não significa que sua linhagem tenha se originado antes das linhagens referentes às plantas atuais; a única certeza que temos é que ela morreu antes.
(Judd, 2009)


Navalha de Occan: Não envolva uma hipótese mais complexa do que a necessária para explicar os dados. Isso é também chamado de princípio de simplicidade , ou parcimônia, que nos conduz a preferir a menor rede. O fato de ela ser a mais curta não a torna correta, no entanto ela representa a explicação mais simples para os dados.
(Judd, 2009)


Se pode aprender uma mesma coisa de várias formas.


AE.07/07/2010

terça-feira, 29 de junho de 2010

Onde está o meu amor?

Composição: Paulo Ricardo / Luiz Schavion

Onde está o meu amor?
Quem será? Com quem se parece?
Deve estar por aí ou será que nem me conhece
Onde andará o meu amor?
Seja onde for, irá chegar.
Onde está o meu amor?
Que será que ele faz da vida?
Deve saber amar e outras coisas que Deus duvida
Corre, se esconde, finge que não, jura que sim
Morre de amores, aonde?
Longe de mim
Onde está o meu amor?
Leve e envolto em tanto mistério
Deve saber voar, deve ser tudo que eu espero
Onde andará o meu amor?
Seja onde for, eu sei que vai chegar
Vai chegar
Corre, se esconde, finge que não, jura que sim
Morre de amores, aonde?
Longe de mim
Onde está o meu amor?
Deve estar em algum lugar

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Pensamentos impuros


Não consigo escrever, pois ao querer começar me lembro de tudo, e logo meu corpo se enche de sensações e o meu coração bate acelerado.
Lembro-me das conversas ao telefone, do seu jeito de falar, do seu cheiro. Sua boca quente na minha, a textura do seu corpo contra o meu, de você em mim, e depois das suas mãos suaves coçando minhas costas.
O ato, o descansar, tudo tão maravilhoso e sensorial, alternando entre a intensidade de mais um encontro e a avassalação de um desejo que foi percebido desde o primeiro dia, desde o primeiro instante que seus lábios tocaram os meus.
Quero a intensidade, a avassalação e tudo aquilo que eu for capaz de sentir ao seu lado. Não há coisas que me impeçam, há tão somente a vontade, o desejo e o sentimento de que você é alguém especial, alguém em quem eu penso durante o dia.
Uma tentativa de não se envolver que foi em vão, a semente caíra na terra já nas primeiras palavras, e depois, por mais que eu quisesse não fui capaz de voltar a trás. Eu quis tentar, eu quis viver tudo isso, quis o mundo fora do meu mundo, quis o seu mundo, quis você...
E ainda quero você para mim.


AE.28/06/2010-FE

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Amor da minha vida



Amor maior do mundo.

Não tem coisa mais linda que o seu sorriso.

Não há força maior que eu sinta do que a que está no desejo que eu tenho de que seja feliz.

Não há futuro melhor que ao seu lado.



Não há amor maior que eu pudesse ter sentido nesse mundo desde antes mesmo de ver seu rosto.

Não há emoção mais forte do que te ver pela primeira vez.

Não há como não te amar. Meus problemas se tornam ínfimos quando você sorri ou quando ouço sua voz no telefone.

A pessoa mais amada desse mundo, a qual eu quero bem e quero tudo de mais lindo.

Sou melhor depois de você, sou mais capaz.

Quero que tenhas orgulho de mim, quero a minha vida inteira te ter junto a mim. Mesmo longe, mas sempre perto.

Meus dias mudam quando me lembro de você e dos momentos passados ao seu lado.

Quero que sua vida seja repleta de aprendizados e ensinamentos, que você só leve o melhor, que você só espere pelo melhor.

Estarei sempre por perto através desse amor descomunal que eu sinto por você.

À essa criança linda, sempre e mais uma vez quero dizer...

Murilinho a tia ama muito você.

AE.16/06/2010-MU

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Dimensões




Muitas coisas tem se perdido, muitas palavras lidas tem pesado, algumas ferem minha alma.
Nada é muito compreensível ou até mesmo visível.
Vejo o mundo acontecendo.
Estou aqui do lado de fora do meu mundo, e o que eu vejo é confuso, é saudade, é medo, vontade e tristeza.
Pensei que se eu saísse as coisas seriam melhores, mas não são, não enxergo nada direito, tudo parece distorcido e nada parece ser do jeito que é.
Me sinto triste, pois antes de sair havia a ilusão de que o mundo seria diferente, e que ele só não era porque eu não ousava vivê-lo, porque eu não me atrevia. A ilusão acabou, e o que resta é o que eu vejo, certo ou não.
Algumas lembranças me fazem companhia, muitas me fazem chorar. Estou realmente triste, e agora que eu estou no mundo, não restam mais as coisas que eu pensei que haviam aqui deste lado. Eu me sinto só.
Um solidão doída que faz com que eu me lembre de você, de quando dizia para mim que a sua vida consistia na passagem dos dias e, que talvez eu fosse mais feliz por ter minhas flores.
Me sinto como você tantas vezes se descreveu, e eu sei que minhas flores existem, mas parece que eu não faço mais parte do mundo delas, parece que estamos em dimensões diferentes e eu não as posso tocar, não as posso sentir. Outras dimensões... Assim, da mesma forma que você.
Nós dois erramos, e eu, mesmo sabendo disso, não consegui parar, deixei que meu medo, insegurança e ansiedade me dominassem, sempre com a ilusão de que viver sem você seria melhor do que esperar.
Tudo revirou, derramou, e não conseguimos reter a água antes que ela evaporasse.


AE.14/06/2010-RA


"Maybe I know, somewhere
Deep in my soul
That love never lasts
And we've got to find other ways
To make it alone
Or keep a straight"
(Paramore-The Only Exception)

sábado, 12 de junho de 2010

Encontro



Sentada no chão do meu quarto com o computador no colo e um documento em branco na minha frente, me recupero do frio que senti lá fora, no meu corpo e na minha alma.
Eu a vi, tão de perto, acho até que nos tocamos, era ela, eu sei. Ela não me conhece e eu não sei bem quem ela é como pessoa, não sei o que ela é ou significa para você. Mas o fato é que assim como o frio desta noite de inverno congelava o meu corpo senti o frio dessa história congelar meu coração.
Lembrei-me de tudo e lamentei. Lamentei que numa noite deste mesmo mês há dois anos atrás trocamos as primeiras palavras, lamentei todas as vezes que quase enlouqueci com toda essa história, me esquecendo até mesmo de quem eu sou.
Dói-me lembrar do que me acusas e, no entanto, se algum dia estiver aqui lendo essas palavras saberá que és tão culpado quanto eu, mas ao contrário de mim, uma vez aqui, tu sabes o que buscas e o que encontrarás, a sua motivação é diferente da minha, pois o que vi não foi o que eu procurava, pois o que eu queria encontrar não estava nem de longe revelado no que eu vi. E eu sei que pensar que um dia você possa entender essa sutil diferença é esperar demais de você.
Duas histórias se cruzaram nesta noite fria, duas vidas, dois caminhos e algo em comum, você presente em algum momento de nossas vidas.
Senti frio durante todo o caminho de volta para casa, não sei se era meu coração sob efeito das lembranças, a noite de inverno, ou os dois.
As folhas caiam dos galhos das árvores sob a ação do vento, elas caiam geladas, assim como as lágrimas em meu rosto.
A neblina densa, caia, e me impedia de ver nitidamente o caminho, da mesma forma que os fatos que se mostraram a mim me confundiram e me fizeram sofrer tanto.

AE.11/06/2010-RA

domingo, 6 de junho de 2010

Vivências




Tenho visto o mundo fora do meu mundo.
Como quem espreita por uma fresta na janela.


Hoje vejo que não havia razão para temer, o que por vezes me deixa triste.
Te perdi pelo medo que eu sentia.


Ainda dói quando me lembro dos fatos, das palavras mal ditas.
Tudo tão imutável.


Não posso mudar o que aconteceu, apenas posso ter fé.
Fé de que um dia as coisas sejam diferentes para nós, cada um com sua vida, como nos foi permitido ser. Fé de não mais fazer quem eu amo sofrer e se decepcionar comigo. Fé para saber compreender o outro sem me deixar envenenar por pensamentos desencontrados, que sempre atormentaram, a mim e ao meu coração.


Amo você, sempre vou amar.
Não amo a ausência ou as palavras amargas, isso não tem valor para o meu coração.
Simplesmente amo você por tudo que sei, não por tudo que eu pensei saber.


Isso hoje não importa, você não vai voltar, o que em alguns momentos me alivia, pois o medo que eu tinha do mundo foi substituido por esse – te decepcionar mais uma vez.


Isso me dói, me consome, mas agora não há mais pensamentos nocivos, há somente a saudade e o amor. Amo tão somente pelo sentimento e por um forte desejo, que lateja em minha alma, de que talvez um dia eu consiga.


Hoje vejo o mundo fora do meu mundo, vejo todas as outras flores, suas cores, seus odores e até gosto. Mas no entanto sigo, por assim ser necessário. E por mais que eu queira, não consigo te esquecer. Já tentei muitas vezes e de várias formas. Todas em vão.


O que eu sinto por você me motiva a querer ser melhor sempre, e afirmo com a certeza de que é isso que eu desejo com força.

Saudades de você. Mas por favor não volte.

AE.06/06/2010-RA

terça-feira, 25 de maio de 2010

(Foto: A. E. Castro)

"O banco está vazio porque eu saí para viver"
(A. E. Castro)

Não me escondo mais do mundo no meu mundo.
Saí para ver as flores, todas elas, com suas cores e odores.
Me permito viver sem medo.

AE.25/05/2010

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Resiliência


(Foto: A.E.Castro)


Hoje acordei me sentindo especialmente diferente.
Não sei se foi pelo fato de ter que usar algo que pensei não gostar, e ter achado que ficou legal.
Ou se foi porque novamente voltei a ser eu.
Não sei se foi por eu ter visto uma cerejeira em flor.
Nunca imaginei poder ver uma assim tão de perto e até poder tocá-la.
Como futura botânica foi especial e como amante de flores foi surreal.
Passei a manhã assim num estado de frenesi e absorção.
Tudo que eu planejei foi produtivo e, no caminho para casa, depois de um bom tempo imersa somente em confusão e sofrimento, voltei a perceber o mundo, além daquele que há dentro de mim e as coisas que me fazem feliz.
Consegui perceber de onde vinha o cheiro parecido com damasco que sempre senti ao passar por uma das casas da rua.
E ao olhar com mais cuidado, vi que o cheiro vinha de uma árvore florida. Um cheiro que envolve e dispersa. Queria ser capaz de exalá-lo em palavras.
Será que hoje é o dia dos momentos especiais?
Que assim seja então.
Meu sentimento quis ser escrito novamente.
Hoje senti vontade na alma de escrever.
Aproveitei, registrei esse momento e as flores também.
Havia muitas outras flores, mas fotografei somente as que me soaram especias hoje.
Acho que flores são como as pessoas, todas tem sua beleza, mas somos nós com nossa capacidade de percebê-las que ditamos o significado que cada uma delas tem para nós.
Quero me sentir viva novamente, e acho que já me sinto assim.
Quero viver tudo que planejei para mim aqui... Mudanças, sonhos e realizações.
Amanhã tenho um encontro, mas isso é o de menos.

Quero e preciso viver isso. Quero experienciar... Fatos novos, coisas novas, pessoa nova.


AE.24/05/2010

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Desejo



Hoje eu acordei melhor. E indo para a Universidade senti minhas flores novamente.
Isso me fez bem, mas me lembrei de você também e do sonho que eu tive. Sonhei que me procurava para dizer que o que eu vi, sim, era um sonho e, que você estaria ao meu lado de verdade, sempre e pessoalmente. Lembro-me que nesse momento você me tocou e eu pude sentir o amor que há em mim aquecer o seu toque na minha pele, o seu amor e a força que emanava de nós.
Foi então que chorei e você mais uma vez me abraçou.Tudo tão real, tão sonho, tão perto e tão longe, como tudo sempre foi entre nós. Percebi que não sonhei com você só hoje, eu sonhei com você a minha vida inteira. Mas quando acordei senti a dor de não te ter aqui, de nenhuma forma que não dentro de mim, dentro da minha cabeça, do meu corpo e da minha alma.
Foi então que notei que sonho mesmo era o que tinha acabado de acontecer.

AE.17/05/2010-RA

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Você sabe o que é a dor?

Dor é acreditar que encontrou o amor da sua vida e o defeito dele é ser ausente.
Dor é se culpar cada vez que respira por essa distância.
Dor é estar bem nas outras áreas da sua vida e toda vez que você sorri sente uma fisgada no coração.
Dor é suportar ausências pensando em fim e, de tempos em tempos, tudo é remexido e atirado ao chão.
Dor é ver a pessoa que fez com que você a amasse jurar que não teve nada sério com ninguém mesmo usando uma aliança de compromisso.
Dor é ver promessas que não se cumprem.
Dor é depois da dor esse alguém voltar e, junto com ele todos os sentimentos, e no entanto, ele mesmo não tem intenção de ficar.
Dor é a pessoa saber de tudo isso, e ainda sim continuar e em algum momento voltar.
Dor é saber que talvez haja uma nova pessoa agora, uma da mesma área que a minha.
Dor de estar vendo e não conseguir acreditar.
Dor é sentir um frio no estômago assim que abre os olhos de manhã.
Dor é não se perdoar por sentir que as coisas seriam assim e, ainda sim ter dado liberdade para que elas acontecessem.
Dor é você estar realizando seu sonho e se sentir triste por tanta judiação.
Dor é querer ficar deitada em casa com tudo o que se planejou para si do lado de fora.
Dor é me lembrar da nossa primeira conversa e chorar, pois nela eu disse que tinha medo, você sabia, mas mesmo assim você me fez acreditar.
Dor é ter acreditado.
Dor é ler todas as conversas salvas, e sentir seu toque em cada palavra.
Dor é sentir o inferno quando não está perto.
Dor é saber que há céu quando está aqui.
Dor é pensar sem saber, por não mais confiar nem no meu próprio discernimento
Dor é a mentira, a espera, a crueldade e a inércia vestidas de coisas boas.
Dor é se confundir com tudo isso.
Dor é ver as pessoas que gostam de você perguntar o porquê de tanta tristeza e você apenas dizer que é sono ou dor de cabeça.
Dor é não saber o fundameto disso tudo.
Dor é lembrar de você tão lindo, com um jeito especial de abraçar no nosso primeiro encontro.
Dor é ter mudado de cidade, próxima de realizar meus sonhos e ainda ter os mesmos pesadelos.
Dor é sentir a alma chorar por não conseguir acreditar no que eu vejo, no que você diz, no que eu sinto e nem mesmo em mim.
Dor é tentar não se punir tanto por ter boa fé nas pessoas e ser do jeito que é.
Dor é ter sonhos estimulados em si, sem nem mesmo talvez, a intenção de realizá-los por quem os estimulou.
Dor é não conseguir acreditar no que se vê, porque esse alguém sempre faz com que se duvide até mesmo disto.
Dor são quase dois anos inconstantes, sentindo a partida já na chegada.
Dor é cada minuto que passa após te ter comigo.
Dor é não sentir o seu amor.
Dor é querer, ainda sim, estar errada e ainda sim desejá-lo.
Dor é não saber, você não querer, saber ou poder mostrar.
Dor é ter amado tanto.
Dor é ter suportado tanto...
Dores de cabeças,
Viagens,
Empregos,
Vocação religiosa,
Outro relacionamento,
E ainda agora, talvez um novo.
Dor é você saber que tudo isso dói muito em mim, não me ajuda ou nem mesmo para.
Dor é não sentir minhas flores, não me encantar e não me aliviar com elas.
Dor é... Ainda assim, apesar disso tudo, amar, amar tanto a ponto de pedir...
Por favor não me faça sofrer mais.

AE.12/05/2010-RA

terça-feira, 11 de maio de 2010

(Me perdi das minhas flores. Não há dor maior que essa.)

Poeta

Dentro das coisas inexplicáveis cabíveis nesse tempo todo, está nosso poeta favorito e, usando Fernando Pessoa você me diz: “Tudo vale a pena se a alma não é pequena” e eu lhe digo: “Quando é amar que deves. Se não amas,/Mostra-te indiferente, ou não me queiras,/Mas tu és como nunca ninguém foi,/Pois procuras o amor pra não amar,/E, se me buscas, é como se eu só fosse/Alguém pra te falar de quem tu amas”.

E ainda, seguindo o poeta, no fim, poderias me dizer: “Aponta-me todas as coisas que há nas flores”. E eu te responderei: “Mostra-me como as pedras são engraçadas/Quando a gente as tem na mão”.

AE.10/05/2010-RA

(Trechos tirados dos poemas de Fernado Pessoa : Mar Português , A Falência do Prazer e do Amor e O guardador de rebanhos - VIII)

segunda-feira, 10 de maio de 2010

(Hoje também... sem flor)

Simplesmente amo.

Eu amo a forma como me passa segurança quando fala comigo.
Eu amo a forma como escreve.
Eu amo, mas nem tanto, quando você aparece depois de um tempo, depois de eu achar que nunca mais voltaria.

E quantos nunca mais essa estória já teve.

Eu amo a certeza matemática que tem nas coisas que você diz.
Eu amo admirar você como pessoa.
Eu amo, mas nem tanto, quando você por algum motivo se ausenta.


Eu amo seu jeito inteligente de ser.
Eu amo pensar em você e nas coisas que já me disse.
Eu amo, mas nem tanto, nossos tempos diferentes.


Eu amo e apenas isso.
Mas no entanto, eu queria que somente o que eu sinto bastasse para mim.


AE.10/05/2010-RA

domingo, 2 de maio de 2010

Hoje não tem flor

Gabriel diz:
fiquei me perguntando, ainda estou, quantas dessas flores existem aí dentro de você... quantas estão ao alcance das pessoas e quantas, talvez, ninguém ainda tenha conseguido tocar...Lavínia diz:
fiquei feliz de te conhecer, devemos valorizar quando pessoas especiais passam pela nossa vida

Gabriel diz:
Eu tb fiquei! Foi como disse para você, eu sou um pouco assombrado para conhecer pessoas, raramente tenho a sorte que tive com você... rs

Gabriel diz:
Mas espero que não passemos um pela vida do outro, mas fiquemos um na vida do outro!

Lavínia diz:
mas as pessoas não costumam ficar muito tempo na minha vida


Gabriel diz:
bem, as erradas têm esse costume mesmo... rs

Gabriel diz:
você não pode se culpar por isso, eu acho

Gabriel diz:
me fale um pouco sobre isso

Lavínia diz:
sei lá, elas apenas passam, acho que alguma coisa falta

Lavínia diz:
mas já me acostumei com isso, acho também que elas podiam ser um pouquinho mais perseverantes ou talvez realmente não eram certas para qualquer tipo de coisa

Gabriel diz:
posso perguntar uma coisa?

Lavínia diz:
sim

Gabriel diz:
você escreveu algo como "frio do que talvez pudesse ter sido / se não fosse o medo"... e agora diz sobre "mais perseverantes"... hum... como essas coisas se relacionam?

Lavínia diz:
não entendi como você viu relação nessas duas frases


Gabriel diz:
é que elas falam de pessoas, eu acho... na sua poesia, parece que não há a pessoa, pois parece que ela não consegue se aproximar (ou você)... e o que fica, então, é a vontade e alguma dúvida sobre o que se realizaria... de outra forma, agora, você fala sobre as pessoas, que elas poderiam ser mais perseverantes... ou que não eram certas mesmo... e eu fiquei pensando como isso convive dentro de você?

Gabriel diz:
(talvez a relação seja apenas sensorial e menos existencial, ou que eu esteja louco mesmo, sei lá... rs)

Lavínia diz:
não há pessoa

Gabriel diz:
humm

Lavínia diz:
e as que possivelmente possam surgir, talvez tenham dificuldade para se aproximar


Gabriel diz:
e essa dificuldade vc atribui a desistirem rápido (perseverança)?

Lavínia diz:
Não sei, acho que elas não são perseverantes ou porque realmente não sabe o que querem, ou não conseguem ver da forma como você colocou e se veem acham que não vale a pena, ou se logo sentem que eu não levo muito jeito com essas coisas


Gabriel diz:
interessante tudo isso


Lavínia diz:
tenho "jeitinho carinhoso" de ser, parecido com um leão ferido

Gabriel diz:
imaginar que as pessoas são incapazes de ver a melhor parte, deixam de ver a melhor parte, me deixa um tanto... hum... receoso de que não haja bons observadores mais nesta vida... rs

Gabriel diz:
por que vc é uma leoa ferida? parece tão doce.. rs

Lavínia diz:
1º o conceito de melhor parte talvez possa ser relativo nesse caso

Lavínia diz:
2º pareço doce? talvez eu seja.

Lavínia diz:
3º talvez a” leoa” seja o calvário para se chegar ao céu

Gabriel diz:
você quer dizer que precisa mostrar suas garras primeiro, para depois conseguir ser doce? bem, isso parece bem interessante... bobo daquele que não aproveitar isso! rs

Lavínia diz:
pode ser, mas duvido que alguém consiga passar, às vezes até eu tenho medo e chego a duvidar, tenho muito medo de sofrer

Lavínia diz:
aproveitar no sentido de tirar proveito?

Gabriel diz:
aproveitar no sentido de... bem, se as coisas são assim, por que não extrair o melhor? como com as flores... algumas têm espinhos, mas não deixam de ser bonitas por isso.

Lavínia diz:
bom, não sei, são só hipóteses

Gabriel diz:
fico com a que a culpa é das pessoas erradas, mesmo! rs


Lavínia diz:
pode ser, mas o fato é que não passam e digo por probabilidade


Gabriel diz:
mas, enfim, tudo isso porque eu li o seu texto e enxerguei nele algo que me interessou... veja como a gente viaja no mundo dos sentimentos! rs

Lavínia diz:
o que te interessou?

Gabriel diz:
os seus sentimentos


Lavínia diz:
só por que são contraditórios?

Gabriel diz:
não são contraditórios, são reais!

Gabriel diz:
e já fazia tanto tempo que eu não via isso...


Lavínia diz:
sentimentos reais?

Gabriel diz:
acho que sim... quando você escreveu, eles não existiam em você? mesmo que não existam mais, em algum momento eles foram reais

Gabriel diz:
[e eu nem acho contraditórios, para ser sincero]


Lavínia diz:
você está mexendo com eles


Gabriel diz:
isso é perigoso?! rs


Lavína diz:
não entendi

Gabriel diz:
é que você disse "mexer", quis brincar como "será que estou cutucando a leoa muito de

perto?!"... rs... mas eu não tenho medo! rs
Lavínia diz:
não sei se está, talvez ainda não, mais os cutucou ao me fazer refletir sobre essas coisas

Lavínia diz:
quando se fala de sentimentos eles afloram

Gabriel diz:
isso é muito bom, eles afloram porque estão vivos, bem vivos aí dentro!

Lavínia diz:
Aí sim é perigoso


Gabriel diz:
pois então, foi disso que eu falei que não tenho medo! rs

Lavínia diz:
por que?

Gabriel diz:
por que não tenho medo?


Lavínia diz:
sim

Gabriel diz:
humm... difícil... mas... não sei explicar... deve ser porque simpatizo com felinas, é... deve ser isso! rs

Lavínia diz:
Será que vai reconhecer a felina quando ela aparecer?


Gabriel diz:
depende do tamanho das garras, né! espero que já tenha passado o calvário que vc citou nesse momento... rs

Lavínia diz:
nem começou, saberá quando eu ficar INSUPORTÁVEL


Gabriel diz:
hum... bem, nesse caso, estarei pronto! prometo ter uma flor, bem perfumada, para você...

Lavínia diz:
o que te fez querer passar pelo calvário?

Gabriel diz:
não acreditar nele


Lavínia diz:
e por que passar por onde não acredita?


Gabriel diz:
muito pelo contrário, passarei pelo que eu acredito e, talvez, pelo que nós dois desconheçamos... apenas o calvário, como você vê, e eu não, é que não passaremos


Lavínia diz:
pra que?

Gabriel diz:
roubar a frase do meu poeta preferido, "tudo vale a pena se a alma não é pequena"... a sua não é...

Gabriel diz:
a sua alma não é pequena, ou jamais conseguiria tocar seus sentimentos e expressá-los, por mais hábil com palavras que fosse... mas eu poderia tomar a nossa conversa como um exemplo concreto disso...

Lavínia diz:
parece que tudo isso é apenas um desafio

Lavinia diz:
e colocando em probabilidades que você gosta, a chance é 100% de eu não ficar bem

Gabriel diz:
acho que agora não entendi muito bem... você realmente acha que é apenas um desafio?

Lavínia diz:
não sei, preciso que você me diga e me faça acreditar na sua resposta

Gabriel diz:
só posso dizer que não, não é apenas um desafio para mim


Lavínia diz:
Sinto mais medo


Gabriel diz:
você está com medo de mim?

Lavínia diz:
Não, e sim do que você causa em mim

Gabriel diz:
é algo ruim?

Lavínia diz:
não sei se é bom ou ruim, ainda estou no meio de tudo isso que você me causa, e estou com medo de perder mais uma vez.

Lavínia diz:
Mas ainda sim, estou feliz por você ter aparecido na minha vida assim

Gabriel diz:
eu também! pode acreditar, você não vai precisar sentir medo... prometo! eu nem mordo, quero dizer... logo no começo! rsrs


Gabriel diz:
mas vc nem mesmo idealiza algo? a gente sempre sonha com algo! rs

Lavínia diz:
quando os sonhos não se realizam dói e por isso aprendi a não sonhar (criar expectativas)

Gabriel diz:
é, mas talvez você deva desaprender isso, viu! sonhar é fundamental, mesmo!

Lavínia diz:
tenho alguns projetos em outras áreas da minha vida

Gabriel diz:
isso é muito importante, mas precisa cuidar do seu coração também, mocinha!


Lavínia diz:
ai Gabriel, não sei

Gabriel diz:
você disse que confiava em mim! rs

Lavínia diz:
confio

Gabriel diz:
confia agora tb! rs

Lavínia diz:
você Gabriel é especial!

Gabriel diz:
ser especial é poder ser o melhor que a gente pode pra alguém que a gente gosta... é difícil ser especial pra alguém, me deixa feliz saber que estou sendo para você...

Lavínia diz:
promete que não vai me deixar?

Gabriel diz:
prometo que meu coração não quer e que eu não desejo isso


AE.02/05/2010-RA

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Há tempos... confusão.



Confusão de sentimentos, na interpretação, nas palavras e nas atitudes.

Pensei ter visto o amor por aqui, pensei que ele me procurava.

Te desejei tanto que me enganei. Perdi o senso, me confundi.

Meu coração tão pequeno que sofria com a dúvida, agora sente amor.

A dúvida não mais existe e, sei que o que eu sinto provém de palavras, palavras escritas por alguém que apesar do tempo não conheço e, que apesar de tudo desperta em mim sentimentos diferentes num único segundo.

Mais um episódio.
Será que precisarei de mais quantos para entender que existem sentimentos que não são férteis, sentimentos que não frutificam?

Depois da dor, resignação.

Mais uma vez preciso cuidar de mim, mais uma vez preciso não me punir por acreditar que a culpa foi minha, afinal, toda essa história já deixou marcas demais em mim, algumas muito profundas, que fazem com que o medo que eu tenha de sofrer realmente façam com que eu sofra.

Será sempre assim? Aproximação, frases lindas e profundas, emoção, sentimento aflorado, ausências, confusões, palavras mal ditas e “fim”?

Não há como exigir estrutura de alguém que ama e sabe que o desfecho é sempre o mesmo.
Não há como querer paciência de alguém que ama e não sente a constância que nutre.
Não tem como pedir a alguém que ama que não sofra, quando já na chegada sente a partida.
E esta, enfim, mais uma vez acontece.

Seria tão sublime ver concretizadas as palavras que fazem sonhar, seria substancial o toque em quem se ama, e este transcenderia o desejo por esse alguém. Um futuro assim, surreal. Seria desta forma, se tudo não fosse confuso, se tudo não fosse apenas um momento para que quem chega se sinta amado, se nutra e depois parta.

É tão cruel pensar assim, eu sei. No entanto cruel é também o mecanismo que faz com que esse sentimento, mesmo que sofrido se mantenha vivo.

Eu amei você... eu amo você... e sofro.

Sofro por saber que há algumas coisas que eu desconheço, e que há tempos essa história se repete insessantemente.

Sofro por entrar em um estado de extrema ansiedade e insegurança quando você me procura.

Sofro porque em um único momento você resolve que eu sou importante e em outro eu não sou mais.

Sofro por achar que a culpa é minha, quando na verdade eu sei, que tudo isso nada mais é que as suas ações provocando reações em mim. Fazendo com que eu me torne quem eu não sou.

Não o culpo e tão pouco quero culpar a minha. Cada pessoa extrai da vida aquilo que pode, e em cada dia um mundo novo a se aprender.

E o que nos resta além de seguir com a travessia?

Sigamos.

.AE.30/04/2010-RA

terça-feira, 13 de abril de 2010

Externando



Tudo está pela metade. Quero te dizer tantas coisas mais não consigo.
Quero te falar das coisas que eu tenho aprendido, da série de tv que eu tenho assistido, dos sentimentos maduros que aparecem com mais frequência (com excessão de quando estou no período hormonal), do quanto é linda essa cidade, do quanto me sinto feliz aqui, do quanto é gratificante ir toda manhã estudar na faculdade que eu escolhi, do quanto me sinto bem por ter emagrecido e estar mais saudável, do quanto é divertida e unida a equipe de onde eu trabalho, das noites (sexta e sábado) bebendo vinho com as meninas, rindo, falando besteiras e por vezes até dançando, quero falar de como mexe comigo o sorriso do Ricardo* (Tato), e te contar também do porque de chamá-lo assim, quero te falar que apesar disso sei que ele ainda não é a pessoa por quem vou me apaixonar e que ainda sim fico feliz por saber diferenciar esses sentimentos.
Quero te falar que aqui, tanto em casa quanto na loja que eu trabalhei as pessoas gostam verdadeiramente de mim, que na minha família as pessoas me veem e me respeitam como uma pessoa guerreira, quero te falar que talvez só agora eu tenha percebido isso.
Quero te falar de como me senti bem voltando à minha cidade natal para passear, pois isso é sinal de que as coisas por aqui, tudo o que eu sonhei e planejei estão caminhando como eu esperei, quero te falar que as vezes eu sinto saudade de algumas pessoas que eu não devo manter contato, e mesmo sabendo que pode ser por carência, sei também que é porque em algum momento elas foram especias para mim.
Quero te falar que não me arrependo nem por um segundo de ter deixado tudo e vir, não me arrependi antes quando as coisas estavam mais difíceis e menos ainda agora.
Quero te falar do orgulho que sinto de mim e como isso me faz estar confiante, quero te dizer que aprendi amar, amar de uma forma desmedida, sem esperar nada em troca, amar pelo próprio sentimento, aprendi a amar a vida, a mim, meus amigos, minha família, a minha vida, a amar tudo o que eu tenho e que eu sou.
Quero dizer também que amo muito você, minha amiga de todas as horas e momentos, que te tão presente, nem sinto a distância que nos separa.
AE.13/04/2010-SA

terça-feira, 16 de março de 2010

Perda


Tenho pensado no tempo pela perda. Como é triste constatar na prática o que cansamos de saber na teoria e não agimos.
Há uma certeza, as pessoas se vão, se vão um dia, se vão de uma hora para outra, estão indo agora.
Quando isso acontece fico a pensar... não é a dor da perda que aflige, e sim a saudade enorme que fica e que nunca mais se poderá matar. Não é da saudade que virá que eu falo e sim do tempo que a pessoa esteve aqui e estivemos ausentes, mesmo que sempre lembradas, nunca anunciadas.
E novamente penso no tempo, no tempo que não volta mais, no tempo que deixamos de ficar perto das pessoas que são importantes para nós. E de repente a saudade, a tristeza de não mais poder re-viver as lembranças que agora, a todo momento voltam e revelam as pessoa maravilhosa que passou em nossa vida e com o tempo passamos a normalizá-la, tendo consciência somente quando se vão, e sempre e todas se vão.
E então começo a questionar, quais são as outras pessoas que eu ainda não perdi, que são importantes para mim e que eu estou deixando de me fazer presente.

AE.16/03/2010-ED

"Mas as horas há que marcam fundo...
Feitas, em cada um de nós,
De eternidades de segundo,
Cuja saudade extingue a voz."
(Manoel Bandeira)

domingo, 14 de março de 2010

Lembranças de você



É nesse espaço que me reservo a você, é aqui mais uma vez que eu me revelo e quase te toco.
Um história confusa sem começo, meio e fim.
Me lembro de você tão diferente, singular e especial.
Me lembro das suas, das minhas, das nossas incertezas.
Me lembro de como era bom te esperar e falar com você.
Me lembro do coração acelerado e o medo do incerto.
Me lembro das suas dúvidas e das suas decisões.
Me lembro de outra, de outra pessoa, de outra história.
Me lembro da ausência e do tempo passando.
Me lembro de você reaparecendo e sumindo novamente.
Me lembro que te amei de verdade e com força.
Me lembro que sofri e que também chorei.
Não há mágoas ou tristeza, apenas uma lembrança e sua manifestação.

AE.14/03/2010-RA

terça-feira, 9 de março de 2010

Hortência



Você aqui diante de mim revelando seus contornos, suas pétalas e suas folhas.
Você aqui diante de mim revelando sua paz, sua cor e seu valor.

Tão rosa, tão sublime e tão bela.
Contrastando com o que há no ambiente, contrastando com o que há em mim.
Tão singela em apenas ser.
Tão forte em existir.

Te vejo aqui diante de mim a me ensinar mais uma vez que o que vale pena e o que permanente está além da sua existência, revelando toda a transitoriedade existente em uma vida.
É contigo que aprendo.
É com você que me conheço.
Sempre assim, apenas de te olhar, a vida se manifesta diante de mim em resignação.
E a sua beleza dá novo significado ao tempo que tudo alivia, revela e transforma.

AE.09/03/2010

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Se



Tenho assistido aos filmes que você comentou, mesmo que nunca venha assistir o que te indiquei.
Você fará falta de algumas formas, através de algumas lembranças, de algumas situações, mas sobre tudo fará falta o que eu percebi em você, algo que parece ser segredo ou camuflado, algo que parece que poucas pessoas têm acesso, algo que eu não esqueço, algo que contradiz a algumas atitudes suas, algo que eu sinto ser a sua essência.
Essa minha mania de parecer que eu vejo além, de me lembrar apenas do que foi bom, do que o meu coração sentiu sobre o que me pareceu vir do interior do outro. Coisas que me foram reveladas em gestos, mas contraditas em atitudes.
Será que até aqui eu vi somente o que eu queria?
Mas eu me esforçava justamente para ver ao contrário. Queria ver coisas que me mostrassem a realidade das coisas que eu percebia, mas vez ou outra fui surpreendida por atitudes cintilantes. Coisas naturais, momentos em que as palavras vinham de dentro, sinceras confirmando a essência que eu sentia e não queria ver pelo simples fato de não ser permitido.
Porém, o problema foi o combinado. Essa minha maneira de sentir medo de tudo, de querer assoprar toda e qualquer luz como se fosse uma vela e, simplesmente fazer assim com que o opaco e calculado me transmitam a segurança de algo com que eu sei lidar. Fico criando artifícios para que não seja luz o que eu vejo, tento negar e apagar, mas existem luzes que não se apagam assim, e quando isso acontecesse fecho os olhos para não ver e sempre continuar no meu mundo, me preparando para lidar com combinados e datas, talvez nunca realmente livre ou se permitindo viver, mesmo que a realidade seja outra, afinal algumas realidades não são verdadeiras, são criadas por nós, por nossa cabeça, por nossos medos.
Mas qual é realidade é verdadeira?
Não tenho como saber, prefiro que o tempo me revele, pois o brilho verdadeiro não sairá como purpurina com qualquer brisa, ele permanecerá da mesma forma que o brilho nato do ouro resiste às intempéries da natureza.
Seu quarto agora está vazio e a minha bolha grande demais. Eu não sei como estou, resta apenas três pedras e silêncio.
Sei que não foi comum, que não foi igual à maioria, acredito em você de verdade, mas existem coisas que levam um tempo para serem assimiladas, talvez eu tenha mais certeza com o tempo, depois que as pedras rolarem rio abaixo, e desta forma o que seria desde o começo volte a ser.
Talvez nada faça sentido mas também não precisa fazer. Queria dizer-te mais, mas às vezes as confusões me invadem e eu fico assim.
Se algum dia se lembrar, e talvez, mesmo sem saber entenda que, mesmo não havendo por precaução um sentimento propriamente dito, muitas coisas não podem ser explicadas e, mesmo que existam muitas pessoas em seu mundo, na minha bolha só você me fez companhia e, certamente por tudo de bom que percebi na sua essência.
E sem que eu possa explicar o que você me pediu, quero que saiba, ainda que prevendo que você nunca irá ler, que eu teria me permitido amar você se eu pudesse e se algumas coisas não tivessem acontecido.

AE.27/02/2010-RE

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Brisa



Ontem depois que o filme terminou, fui a porta da cozinha e olhei o céu. Estava pensativa e algumas coisas se apresentam superdimensionadas ultimamente. Ao contemplar as estrelas pude sentir a brisa fria, e isso fez com que eu me lembrasse do dia em que você me contou gostava da sensação do vento frio batendo no corpo.

Me lembro como se ainda vivesse isso, era noite e estávamos indo da universidade para a moradia e, por mais que eu queira descrever esta cena as emoções não me deixam, pois a saudade é tanta. Eu sei que nem que voltássemos lá, por melhor que tenha sido nunca mais será igual.

E é aqui que consigo perceber o peso da passagem dos dias, pois os lugares ficam, mas os momentos e as pessoas se vão e, por mais triste que isso seja, a vida não te deixa parar, ela te empurra, sempre te empurra, mostrando que não é possível voltar nem que seja para matar saudades e reviver momentos.

Todo instante vivido é dádiva e em algum momento ao olhar para trás vamos perceber a sua importância e sentir falta. Por isso desfrute, deguste e saboreei cada suspiro de vida que você der.

AE.23/02/2010-SA

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Rumos



Tenho estado saudosa ultimamente. Sinto saudade de épocas distantes e nem tanto assim.

Pude perceber que eu sempre estive mais no meu mundo interior do que no mundo que é externo a mim. Não sei explicar porque isso aconteceu e ainda acontece, talvez seja medo, insegurança ou meu jeito apenas, eu realmente não sei.

O fato é que eu cansei, quero arriscar, quero tocar e curtir as sensações que este mundo externo pode me proporcionar. Quero aguçar meus sentidos, quero viver tudo que me é permitido.

AE.22/02/2010

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Reflexão aos 29



Sabe, é impressionante o que o tempo faz com nossa a vida, com nosso o cérebro e com a nossa alma.
Mais um ano se passou e eu sinto como se minha vida inteira passasse diante de mim revelando o que ficou até aqui.
Eis então algumas de minhas vivências e pensamentos.

1-Por mais importante que você seja em sua família você não é responsável pelo destino e felicidade de ninguém, você pode opinar, você pode apoiar e ouvir, mas nunca poderá efetivamente fazer algo que somente essa pessoa possa fazer por si, e isso serve para todos.

2- Nunca fique entre duas pessoas, a verdade é composta de dois lados, a parte 1 e a parte 2, você não nunca poderá intervir justamente nessa causa.

3- Fuja de relacionamentos desesperados e intensos, nada é, por mais triste que isso seja, como um filme de romance, na vida real as relações duradoras são baseadas em sinceridade, parceria, respeito e admiração, e isso você só percebe com o tempo e nada é mais substancial do que o que se fortalece dia após dia, as paixões fulminantes fervem e esfriam, mas o que se é conquistado junto permanece.

4- Tenha tempo para você, para cuidar de você, para fazer o que gosta. Não espere que façam isso por você, não esteja com alguém por precisar e sim por querer, acima de tudo esteja e faça as coisas por você. A outra pessoa te agradecerá por isso.

5- Tenha uma alimentação e hábitos saudáveis, com o tempo a genética e o sedentarismo se manifestam e, você precisará ter um bônus.

6- Conforme o tempo passa você se sente mais forte e com muito mais paciência.

7- Aprende que tudo sempre acontece na hora certa e para o seu bem, mesmo que não consiga enxergar no calor do momento.

8- Quando não puder dançar ao ouvir uma música da qual você goste, permita que ainda sim ela entre em você e, que pelo menos você possa mexer os pés, a cabeça ou batucar na mesa com a caneta.

9- O melhor momento do seu dia é quando você acorda, é mais uma chance que você tem, e é aqui que você determina como encarará tudo que será preciso até que você durma novamente.

10- Saiba apreciar e contemplar coisas simples: flores, filhotes brincando, crianças sorrindo, o vento no rosto, e se você ainda não sabe reconhecer, tire um tempo do seu dia tentando encontrar, e eu posso garantir que achará e, quando isso acontecer sentirá a vida mais leve e perceberá um pouco mais de cor em tudo.

11- Alimente bons pensamentos, pensar positivo ou negativo ocupam o mesmo tanto de tempo e a escolha é somente sua.

12- Tenha fé! Seja em você, em alguém, em Deus, no Universo, seja lá no que for, acredite!

13- Leia sempre. Mesmo que não tenha o hábito, comece a ler pelo que você gosta, revistinha de horóscopo, futebol , e com o tempo verá um mundo novo se abrir a sua frente.

14- Sorria! Nunca é demais e economiza com creme antiidade, todo mundo gosta de estar perto e se relacionar com pessoas de bem com a vida.

15- Trate todos com educação todo mundo merece, escute o que as pessoas tem a dizer e mesmo que não sejam educadas com você, quem perderá?

16- Aprenda com os problemas e frustrações, pois a única certeza que eu tenho, é que depois de superados você será uma pessoa melhor. Agradeça sempre por tudo na sua vida.

17- Saiba pedir ajuda quando precisar e a perguntar quando não souber. Não é vergonha aprender com as outras pessoas.

18- Aceite que ninguém é obrigado a te aceitar ou gostar de você, mas você sofrerá menos se puder aceitar as pessoas como são, mesmo não sendo obrigado a gostar delas também.

19- Leia, assista e escute somente coisas que engrandeçam sua alma e acrescentem algo de bom a sua vida, coisas ruins, estão por todo lado e são fáceis de encontrar, por isso valorize o que é bom e edifica.

20- Ajude alguém sempre que puder. Ouvi certa vez uma frase que dizia: “ ninguém é tão pobre que não tenha o que ofertar”, o que você considera nada pode ser muito ou a única coisa para alguém.

21- Lute pela sua independência e seja livre. Nem que para isso você chore quando se sentir fraco, mas o faça somente nesse momento, depois levante e continue.

22- Faça alongamentos, sinta seu corpo por meio deles. Se sinta vivo.

23- Beba muita água, e se estiver ansioso beba mais e devagar.

24- Controlar a respiração pode fazer milagres quando se está a ponto de explodir.

25- Converse com seus pais e avós, se não os tiver, converse com pessoas mais velhas e aprenda com elas, sinta a paz que elas possuem.

26- Tenha amigos, mesmo que poucos, mas tenha alguém que seja a sua extensão, que você consiga olhar para essa pessoa e ver-se nela, e que com apenas um olhar você possa saber o que ela tem a dizer e se não estiverem juntos, você saiba exatamente o que ela diria à você.

27- Compartilhe sonhos, faça diferença na vida das pessoas, você é capaz, você pode.

28- Aprenda sempre e seja a cada dia melhor. Perdoe sempre, os outros e a você mesmo.

29- Lute pelos seus sonhos e por mais difíceis que possam parecer, não os diminua, engrandeça você.

AE.16/02/2010-AE (Happy Birthday)

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Não combina


Certas coisas não se combinam, me disse uma amiga hoje, e eu sei que ela tem razão. Não dá para combinar o quanto gostaremos ou não de alguém ou o quanto esse alguém se tornará especial para nós. Não se combina a profundidade de um toque, a intensidade de uma atitude, não se combina não querer o que se quer.


O medo que eu tinha era o de saber que você poderia não ser tão “ruim” quanto eu queria que você fosse, porque eu queria ter raiva de você. E hoje sei que você não é nada do que minha cabeça me falou, ao contrário, eu sei de muitas outras coisas sobre você.


Sei que se sente sozinho longe de casa, sei que fez como companhia um sentimento do passado, sei que faz com que isso te norteie para encontrar alguém com a luz cintilante cor-de-rosa, sei que tem medo de chegar ao fim e ver que a vida não valeu a pena, sei que perde as coisas por ser desorganizado, sei que dorme na frente do computador, sei que fala dormindo, sei que é ambicioso, sei que gosta de filmes que possuem mensagens (e estes sempre me fazem chorar), sei que quer ter muitos amigos, sei de tudo isso que você é, mas sobretudo sei o que se tornou para mim.


Não busco alguém com luz cintilante, pois infelizmente não enxergo muito bem com muita claridade, ela ofusca meus olhos e me impede de ver o real, mas encontrei você, tão efêmero e intenso, tão maduro e infantil, tão bonito dormindo e ainda mais quando sorri.


Com o tempo descobri que o cintilante se revela aos meus olhos à medida que vou me acostumando com a luz, talvez num ato de reconhecer o que me é dado, e não colocando brilho em lugares errados ou em pessoas que imagino combinar com a luz que procuro.

Depois de tudo isso descobri também o que eu quero e o que busco, quero mais que alguém possuindo uma luz pré-concebida, busco alguém que revele a sua luz aos meus olhos.


E você é assim para mim, algo opaco e sem luz que passou a brilhar em atitudes, palavras e momentos, reconheço e sei que isso só é possível porque o meu medo passou e não há sofrimento, pois você não é tudo aquilo de ruim que eu pensei, porque você é bom e mais uma longa e extensa lista a qual você mesmo se intitula ironicamente, porém verdadeira.


Um cometa vindo em minha direção que passou, e me deixou muito mais que luz, me deixou um jeito de ver, de saber reconhecer e aproveitar diferente - totalmente momentâneo, mas de alguma forma real. Obrigada... É, eu sei que você sabe que é bom.


E como combinado, me despeço aqui, abraçada com você como em todas as manhãs que acordamos juntos.

AE.12/02/2010-RE

domingo, 31 de janeiro de 2010

Me desculpe se tiver motivos para perdoar



Sabe quando uma oportunidade aparece em nossa vida e não sabemos lê-la?

Quando algo ou alguém chega e não sabemos se é passageiro ou para ficar?

E nesse momento você sente medo e por querer muito faz tudo errado?

Diz coisas erradas, toma atitudes erradas, tudo errado e sempre por medo?

Foi assim com você, inesperado e intenso e por medo ou certeza de ser passageiro eu disse e fiz coisas ruins, quando queria ter atos e palavras diferentes e agora não há como fazer com que você saiba, pois talvez fosse transitório.

Eu e meu medo de magoar as pessoas!

Ou talvez eu tenha me enganado com o seu jeito, com o que foi e com o que realmente veio, ao que parecia – efêmero.

Isso tudo é o que eu nunca saberei, eu não tenho experiência e nunca mais verei você. Não posso dizer nada sem me preocupar em ser uma simples sonhadora e confusa.

Mas o fato é que quando te vi te reconheci ou confundi, mesmo sem saber ao certo, quando te olhei não imaginei que ao me tocar tudo seria como sempre, como sempre foi, não havia estranheza, tudo muito simples e natural, parecia que você estava onde sempre esteve, ao meu lado.

Seu toque, seu cheiro, seu modo de estar ali, tudo era como sempre foi enquanto você não esteve aqui, um sonho.

Nunca mais te verei, agi errado e não soube ler o que você escrevia com suas atitudes naquele momento, e se eu soube compreender, esqueci como seria depois.

Toda vez que fecho os olhos você está aqui, toda vez que abro o portão me lembro de um dia que entrei em casa, um dia comum, normal, e você estava aqui como qualquer outra pessoa, mas em menos de um minuto falou comigo e o meu coração reconheceu sua voz e eu só saberia mais tarde, e eu não pude mais fazer nada.

Tanto que pedi aos céus que se não fosse para sempre não permitisse que algo assim acontecesse, li os sinais errados ou não soube interpretar os certos e agora nem sei se eles existiram, tudo se foi como se nada tivesse acontecido, mas as lembranças se fazem reais a todo momento.

Você veio e se foi. E agora te sinto como um sonho, o que eu sempre sonhei, e que não tinha rosto, cheiro ou gosto.

O mais triste não é pensar que era algo corriqueiro que deixou pensamentos, e sim, se as coisas eram especiais, mais um vez por medo eu as tratei como comuns, e não mais posso mudar e nunca mais verei você.

Deveria ter permanecido quadrada em minha bolha e, mesmo que você tenha dito que: “só sorri de verdade quem chora de verdade”, continuo com medo de sorrir, por ter me acostumado a chorar e não saber reconhecer a hora certa de sorrir.

Perdoe-me se tudo tiver sido real, eu não soube lidar.

AE.31/10/2010-RE