quarta-feira, 27 de abril de 2011

Ainda ele


Hoje assim que te vi você sorriu e meu dia se alegrou.

Tudo se tornou pequeno diante da grandeza que você tem para mim.

Sua flor estava lá, aberta e, o que eu vi ontem foi apenas uma sombra, sombra do que você parecia ter sido.

Amarelo como o sol e lindo como o dia de hoje.

Queria ser capaz de abraçar-te e dizer: Seja bem vindo, meu primeiro dente-de-leão.

AE.27/04/2011-DL

terça-feira, 26 de abril de 2011

Meu primeiro dente-de-leão


Hoje sua primeira flor abriu. E eu pude apreciá-la somente no comecinho da manhã o seu início de desabrochar.

Queria ter podido ficar mais, mas não deu. A vida nos empurra. E eu tinha tanta esperança de que eu pudesse te encontrar a noite, mas não, você já tinha partido.

A tristeza só não foi maior, pois eu sei que muito em breve ele virá, o meu primeiro dente-de-leão.

Talvez essa felicidade se sobreponha àquela que eu senti no dia em que soube que você chegaria, e neste instante, lembrei-me de quando te trouxe para casa, tão pequenino, ainda semente em minha mão.

E hoje, em um dia nublado de quase inverno sua flor se abriu, amarelo como o sol, o sol que me aqueceu o dia todo com essa alegria.

Agora fico aqui, com esse sentimentozinho de saudade, saudade daquilo que eu não vi e, aguardando quem observarei com carinho até que se desmanche e vá para longe, vá levar aquilo que um dia trouxe para mim... A felicidade que há nas coisas simples.

AE.26/04/2011-DL

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Bem pequenininho


Um trechinho pequenininho, um trechinho discretinho e meiguinho.
Um trechinho do tamanho do tempo que eu tenho para estar aqui.
Um trechinho de tamanho inversamente proporcional ao tempo que gostaria de aqui estar.
Aliviar a alma nesse meu espaço tem sido cada vez mais raro, mas não menos importante.

AE.18/04/2011