domingo, 14 de outubro de 2012

Me perdoa, sou fraca e esse negócio de "teatro" bagunçou ainda mais minha cabeça.
Penso que no fundo somos iguais, eu não confio em você pelas ausências e você não confia em mim pelo que elas me causam. Acho que você tem razão somos um para o outro construções de nossas mentes e talvez não represente quem verdadeiramente somos, e você ainda conhece bem mais de mim do que eu em de você.
A saudades cortam meu coração, não consigo mais, é muito tempo passado em cima de seis horas que talvez nunca mais aconteçam. Moramos dois anos na mesma cidade e nem sequer nos vemos.
Tenho medo de te deixar ir, mas olhando de perto, você nunca esteve aqui.
Em algum lugar no tempo somos aquelas duas pessoas que se encontraram há mais de três anos e que se prederam na travessia.
Eu sempre quis que fossemos reais, mas você sempre prefere esperar por alguma coisa que pareça fazer sentido para o seu "teatro". Isso me magou muito, agora sei como se sentia com meus devaneios. Já sofremos demais, esperamos demais.
Eu amo você! Não espero que entenda, pois eu apenas sinto e é forte, é bonito, é completo, mas sem voz, sem cheiro e sem toque continuaremos a somar dias na virtualidade.
O que eu sinto não acaba assim, como quem fecha uma janela de conversação, mas o fato de saber que o tempo continua passando e não evoluimos em proximidade me consome e você perde a sua paz, como me disse em nossas últimas conversas. Eu não sinto segurança para te dar carinho, tenho medo de ser inoportuna.
Eu sei que me sente, sente o que eu sinto, mas me dói saber que sou alguém que precise testar.
AE.14/10/12-RA

segunda-feira, 8 de outubro de 2012



Eu amo você com a minha alma, como o melhor que há em mim.
Quando eu olho para você o meu coração te reconhece e sou incapaz de qualquer mal – mal sentir, mal pensar, apenas um querer bem
Quero também o seu bem, quero que seja feliz porque o amor transcende, transpõe, é atemporal e onipresente.
Amo você há tanto tempo e depois de tanto e tudo.
Fica comigo, vem visitar-me em meus sonhos até que eles sejam reais, esteja comigo até poder estar em mim.
Amo, amo, amo.
E sinto em mim aquela certeza de que isso é permanente, porque quem é importante será assim para sempre.

AE.08/10/2012-RA

sábado, 6 de outubro de 2012


Amor agarradinho, há quem diga que se chamem Romanias...

Quem vai dizer tchau? -Nando Reis

Você vai voltar aqui, eu sei... Em breve estará aqui lendo essas linhas e se matando de raiva por vir e por eu saber.
Me acostumei com esse jogo de pega - esconde e infelizmente já calejei, tivemos tanto tempo, moramos até na mesma cidade e nada mudou – desculpa para carência, para não pagar para ver foi o que sempre houve.
Não se ofenda com as palavras, escolha o que vale a pena se ocupar, gastar o seu tempo, eu optei e não me importa mais, chega uma hora que as palavras mudam mesmo, e na sua omissão não venha me julgar, como você sempre me condenou por fazer. Eu evoluí através de você, e não me importa o que pense, já caminhei e te deixei para trás há um bom tempo, embora tenhamos coisas que não possamos mudar, mas contra elas eu não luto mais, se elas querem ficar, que fiquem, não perco mais meu tempo, meus objetivos são outros, assim como as coisas que eu valorizo e busco para mim.
O bom gosto é tão pessoal, não dá para pesar o gosto dos outros com a nossa balança. Não se engane.
Tão obscuro, sempre nas entre linhas, culpa sua, tudo ter outros significados que não aqueles apontados pelos fatos, e olha que o ditado popular já dizia sobre o senso comum – “contra fatos não há argumento”. Deixei de pensar o que pode ou poderia ser já que sempre nada é o que parece, e se em algum momento quer ou quis que eu soubesse o que de fato é, que você deixe de subjetividades e me diga, não agora com raiva coisas para me magoar, elas para mim não são reais e não tem valor algum, não representam nada além de recalque.
O que eu sou? O que você é? Ninguém se torna aquilo que não é? Eu não concordo com você - as pessoas são aquilo que se tornaram e se tornarão aquilo que serão - simples assim -  respondemos a estímulos e somos reforçados por estes.
Floreios? E o que seria da vida sem a beleza deles, sem a beleza delas, as flores, que estão por todos os lados, e ainda há aqueles que não as enxerguem e que as pisem, consciente ou inconscientemente.
Minhas palavras podem mesmo ter mudado da mesma forma que você, antes tão sacro, cheio de valores e tradições... E hoje? Felizmente, isso eu não mudei, meus valores continuam os mesmos só seleciono mais, independente do que o emocional às vezes diga, quem responde pelas minhas escolhas sou eu.
E a aceitação faz um bem danado, quando deixamos de querer que as pessoas ajam como agiríamos e pensem sobre nós aquilo que queremos que elas pensem, mesmo que não haja embasamento teórico nenhum. Apenas deixe para lá e viva sua vida.
O que eu penso não deveria ser importante para você afinal sou tudo aquilo e tanto para você o quanto você diz hoje e acredita.
Que o seu bom gosto encontre outros lugares tão volúveis quanto você.

Quem não teve decência de conduta foi você, não me
culpe e não desconte em mim suas misérias.
Para mim passou e para você também
vai passar. Eu acredito nisso. 

AE.06/10/2012

terça-feira, 2 de outubro de 2012


Socorre minhas urgências, ouve meus gritos desesperados no silêncio que há.
Hoje acordei com aquela saudade de sempre, querendo realizar o idealizado, querendo tocar o imaginável, com aquelas necessidades não necessárias que vem quando penso em você.
Os dias seguem, e agora chove, pertinentemente para camuflar as lágrimas que caem sobre meu rosto buscando por você, buscando encontrar seu toque, o acalento de um abraço de eternidade contida em um sentimento que se mantém na superfície para que você venha e essa chuva carregue todas as distâncias que há entre nós. Seja aqui, seja lá, seja em nós.
Aquele sabor de algo por viver, de inúmeras páginas em branco para essa história escrever.

AE.02/10/2012