sexta-feira, 26 de abril de 2013

Flor entre pedras



Foto: A. E. Castro

Música: Wish you were here - Avril Lavigne

Tão singelo entre as frestas da vida, da rotina do dia a dia, como uma flor que nasce entre as pedras. Assim é o que eu sinto por você, não sei exatamente o que, ou que nome dar, muitas coisas e sentimentos não necessitam de definições.
Em minha frente um calendário com os dias riscados me revela a contagem regressiva para um futuro próximo e você me faz lembrar de todo o tempo passado em que juntos não passamos.
Onde o que há de você em mim não consegue perceber a ação do tempo, anos se parecem com semanas, meses equivalem a dias.
Sentimento atemporal, que não envelhece, não diminui e não passa. Adormece e é capaz de despertar com apenas uma palavra, com qualquer coisa que você me escreva.
Cada letra lida percorre meu corpo, sinto seu toque trazendo sensações que só suas palavras são capazes de causar em mim. Palavras que me envolvem e fazem com que eu me sinta melhor e como em todo esse tempo faz com que eu queira ser melhor.
E ao saber que estaremos novamente afastados física e geograficamente, consigo sentir você, uma força que sempre envolveu essa história que consegue ser inexplicável e intensa.
Alguém com nome de anjo que em todo esse tempo nunca esteve verdadeiramente distante, alguém que consegue extrair o tempo da história, como se isso fosse possível e inevitável, estando um para o outro assim como é para vida o simples ato de respirar.
Quando meus olhos captam suas palavras um mundo de sensações me invade e da mesma forma como o ar me é vital, escrever se torna necessário, como se eu fosse uma flor que exala seu perfume para cumprir o seu papel – dar oportunidade para que algo fecunde e gere vida – o que eu sinto precisa viver, e é por isso que de mim emanam palavras, algo concreto, que marca o papel para registrar aquilo que tem força de tornado e acontece como uma brisa soprada em um fim de tarde de inverno.
Expiro, suspiro e inspiro – inspiração.

AE.30/01/2012-RA


quarta-feira, 24 de abril de 2013



Quando a alma pede o corpo entende que não há como lutar.
Não adianta fechar as portas e levantar muros.
Não adianta expor mágoas e justificar medos.
O melhor mesmo é se entregar, se jogar de cabeça, sem resistir.
Então abri as janelas, espanei o pó e limpei minha casa.
Deixei a luz do dia e o perfume das flores entrarem.
Coloquei roupa nova no melhor que posso ser.
Uma alma livre que espera pelo melhor e realiza o melhor.
Tratemos de ser feliz hoje, independente dos frios na barriga que os altos e baixos da vida no causam.
Sejamos enfim, uma flor que se abre na primavera.

AE.25/04/2013


Porque quando é diferente
a gente sente.
Fica contente
até meio displicente.
O coração bate alegremente
e na pele há um toque ardente.
E vejo quando está ausente
o dia correr insipidamente.
Te sinto tão atraente
e o rosto quente,
ao te dar de presente
minha rima premente.

AE.23/04/2013



Primeira vez que ouso brincar de rimar.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

(Aperte o play)
Caso não visualize o vídeo, segue o linkwww.youtube.com/watch?v=rIBRcQdzWQs

Você se foi quando eu não quis discutir. Disse ser ironias parvas quando eu falei que tudo ficaria bem, e pedi para que se acalmasse e refletisse. Esteja certo que se tais palavras fossem ditas olhando nos seus olhos saberia que eu estava em paz, que eu queria te abraçar para que tudo isso acabasse logo e ficássemos bem como você queria. Mas certamente minha falta de jeito em momentos de tensão não souberam expressar o real sentimento com que eu disse. Se algum dia puder, me perdoe.

Você não vai mais voltar, eu sei, mas isso não impede que na sua ausência as coisas continuem iguais, como sempre foram nos momentos em que não esteve aqui... Eu sinto sua falta, sinto falta de cada segundo das suas duas preciosas horas naquela noite. 
Agora nada mais importa. Não importa todo tempo em que vivemos inseguros sem saber ao certo o que aconteceria logo em seguida em todo esse tempo, sem saber se o que o outro sentia correspondia ao que sentíamos. Irrelevante nossos medos, inseguranças ou feridas em nossa alma...Tudo isso é tão pequeno perto do que nos trouxe até aqui tanto tempo depois. 
Eu nunca o esquecerei, você tem  toda razão, não é natural e mesmo que nunca mais fale comigo isso não importa, pois o que eu sinto aqui dentro do meu peito, em cada célula do meu corpo cada vez que eu respiro é a força desse sentimento por você, e isso independe de ter você perto, não depende de que eu queira, é o que é pela simples razão de ser, e aonde quer que eu vá, onde quer que você esteja meu desejo é um só... Eu quero que você seja feliz, mesmo que para isso eu nunca mais leia sequer uma letra sua direcionada a mim, nem que durante toda a minha vida eu não tenha outra oportunidade de te abraçar, eu vou te amar, pois isso é uma das coisas que melhor eu sei fazer, desinteressadamente, apenas por amar, por me fazer bem e me motivar, ainda que hoje muito distante do ideal, ser melhor a cada dia, pois foi isso que eu aprendi com você, foi isso que eu extrai do que você é, imperfeito também, mas o que você é.
Não posso estar perto, mas o que eu sou em sentimento te acompanhará sempre, eu nunca vou deixar você... Mesmo com meu jeito temperamental, decisivo, petulante e medroso... Apenas humana. Porque "eu não posso, meu coração não quer ficar longe de você".

Eu queria dizer tudo isso, mas tanta coisa aconteceu e parece que algo quebrou aqui dentro de mim.


AE.11/04/2013

domingo, 7 de abril de 2013


Quando o sentimento se sobrepõe e transborda pelos olhos a gente sabe que o que há dentro de nós está sufocando sem ar, sem vida, sem função. Mas tudo tem seu tempo, como botão de flor que mesmo depois de revelada sua beleza, chega sua hora de cair ao chão. Tudo parece ser um ciclo que o tempo se encarrega de abrir e fechar.

A.E.07/04/2013-:(